segunda-feira, junho 27, 2011

Do Angélico Veira

Eu gostava dele, não vou mentir. Conheci-o e era muito simpático, brincalhão, muito acessível, talentoso e também extremamente bonito, e a partir dessa altura tornei-me fã. A voz dele não era grande coisa em directo, mas sabia fazer beat-box e dançava de forma que levava as mulheres à loucura. Era feliz. Lamento imenso a sua morte... fiquei triste quando o soube e sinto o coração um bocadinho apertado. Custa-me imenso que alguém como ele, que me pareceu responsável e 'down-to-earth', tivesse a irresponsabilidade de viajar sem cinto de segurança. Não vou falar sobre a velocidade porque eu própria, quando conduzo carros de grande cilindrada, nem me dou conta da velocidade a que chego! É tão fácil acelerar e nem damos conta da rapidez. Mas o cinto de segurança... isso é imprencindível! Um acto automático! Eu nem consigo sequer arrancar sem o colocar. Como é que hoje em dia, com tanta campanha, tantos acidentes que há diariamente ele (e tantos outros como ele!) não tenha feito o simples acto de colocar o cinto? Ao Angélico, de 28 anos, custou-lhe a vida e o único passageiro que escapou "ileso" do acidente, era também o único que levava cinto de segurança... é preciso mais do que isto?

Lamento a perda. Um beijo e muita força para a mãe dele e toda a família e amigos.

5 comentários:

Sofia disse...

Mas... ele morreu??

Kat disse...

Sofia, sim ele já faleceu. Falta anunciar à comunicação social... :'(

Silvermist disse...

De certeza que morreu? Nas últimas notícias desmentem que está em morte cerebral e até vão fazer uma vigília :\

Kat disse...

Silvermist...eu tenho a certeza, não te posso dizer como sei, mas sei-o seguramente =(

Lisbo@ disse...

Bolas não sabia que já era oficial... Não o conhecia, mas qualquer morte é sempre de lamentar. Será que os irresponsáveis que ainda não usam cinto de segurança vão olhar para esta notícia com olhos de ver?! Espero que sim!